Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Afinal Se Calhar Até Nem Somos os Últimos

 

 

É verdade! Por mais inacreditável que possa parecer, existe alguma coisa em que não somos os últimos, em que não estamos lá bem no fundinho da lista.

 

Estava eu a almoçar enquanto ouvia os acontecimentos diários nacionais e internacionais num qualquer telejornal da hora de almoço, quando oiço uma notícia, simples e inócua, mas que a mim me deixou de orelha em pé.

 

Realizou-se um estudo no Canadá, cuja conclusão indicou que o uso da caneta vermelha nas correcções de testes e trabalhos de alunos têm uma conotação negativa.

Ah pois é! Mas isso já alguns professores Tugas sabem há algum tempo e não foi preciso fazer nenhum estudo sobre canetas, as suas cores e conotações implícitas e efeitos nos alunos. Não precisamos de gastar os últimos cobres dos contribuintes Tugas para fazer um qualquer estudo sobre canetinhas. Afinal somos um país em crise e à beira da recessão económica. Pelo menos é o que dizem…

 

Mas voltando aos objectos escritores, dos quais eu até sou muuuito apreciadora… Eu ainda sou do tempo em que os nossos orientadores de estágio – sim, eram orientadores e não tutores como modernamente se designam – nos explicavam as “desvantagens” e efeitos psicológicos negativos exercidos nos alunos aquando da correcção de testes e trabalhos com a famosa… caneta vermelha!

 

A bem da verdade, nunca gostei muito de canetas vermelhas, sempre fui uma pessoa, digamos, alternativa. Não é que não goste de vermelho, que é a cor da paixão, do coração e do maior clube de futebol português. Não. Apenas acho que as correcções feitas a outras cores dão mais “cor” e “alegria” ahahahahaha às pobres folhinhas brancas monotonamente escritas a preto ou azul.

Quantas e quantas vezes, as canetinhas coloridas não preenchem aquelas folhinhas de teste ou trabalho com conteúdos tão parcos? E que bem que ficam os certos, os errados e os comentários a cores alegres, preenchendo o vazio das folhas!

 

Alunos meus não levam com a canetinha vermelhinha. Aqui a teacher, recorre ao seu estojo repleto de canetas coloridas, enfia os deditos lá dentro e saca qualquer umas das suas amigas escritoras sempre que precisa de “colorir” testes e trabalhos.

 

E só para matar a curiosidade, devo contar-vos que as canetas que mais utilizo são, verdes, roxas, rosas ou castanhas. Alternativo, não?

 

 

Over and Out

 

Sinto-me nas últimas a todos os níveis. Mesmo. Estou com a síndrome da sexta-feira. Estava mesmo era a precisar de mais que dois dias de descanso.

 

Esta semana tem sido terrível a fazer e corrigir testes e trabalhos. A preparar aulas e a pensar nas actividades de Easter e Father’s Day. Logo o Dia do Pai tinha de calhar em férias que é para o pessoal andar pirado da batatinha e às pressas. Não chegava uma actividade, tinham que ser duas e logo seguidinhas! Acaba por ser mais trabalho para nós do que para os putos. Pensar e fazer!

 

Ontem estava cheia de remorsos porque me sentia a “abandonar” os vossos blogs. E como já estava saturada de corrigir testes mas não o podia deixar de fazer, resolvi ir corrigindo testes e lendo e comentando os vossos blogs. Sei que faltou ler alguns mas chegou a uma altura em que pifei mesmo!

 

Se por acaso notaram ou eu disse algo estranho nos comentários aos vossos posts, já sabem o motivo… foi devaneio do momento e nem dei por isso.  Assumo!

Que Cena!

 

 

Tem sido um dia do melhor que há! Como o N. não veio não faço outra coisa senão trabalhar!

 

De manhã fui dar uma beijoca à minha priminha B. e depois toca de fazer arrumações. Da parte da tarde ataquei os testes que tinha para ver. Reparti a tarefa pelos dois dias do fim-de-semana. Hoje foi dia de correcção e amanhã será dia de grelhas e cotações. Parece que já passei à frente da amiga M. ...Ihihihhi! Amanhã vou zangar-me com ela!

 

Mas para aliviar o stress, a minha afilhada veio beber café comigo. Finalmente entreguei-lhe a prenda: a tão procurada caixa registadora. Escusado será dizer que ela AMOU!

Claro que estivemos as duas a brincar aos supermercados no café! A pobrezinha queria ficar aqui na casa da madrinha. Fiquei com tanta peninha dela! Mas prometi-lhe que a ia buscar no próximo fim-de-semana.

 

Agora, fui cravada para ensinar a fazer um blog onde eu, o N. e o A. seremos intervenientes. Mas isto de trabalhar com dois homens tem muito que se lhe diga! Acho que os vou deixar entretidos a mexer naquilo e amanhã vou “avaliar e corrigir” o trabalho. Já que estou em fase de atribuir notas…

 

 

P.S. – Até o Bóbi já estva farto de me ver a corrigir testes…!